Você sabe o que é Array?

Você sabe o que é Array?

O Array é uma coleção de elementos em uma programação, que são fundamentais em qualquer linguagem. Esse tipo de termo se torna muito mais comum quando você começa a praticar mais a programação, mas pode assustar de início.

O universo do TI, especialmente o setor de programação, tem todo um dialeto próprio que mistura palavras em inglês e em português para conseguir expressar melhor as ideias que estão sendo transmitidas.

É comum que empresas de instalação elétrica contratem técnicos especializados para desenvolver melhores ferramentas para o trabalho, o que pode precisar de conhecimento de TI especializado e a criação de ferramentas usando o Array.

Nesse ponto, o Array acaba se tornando um destes exemplos, sendo uma importante estrutura de dados em qualquer linguagem de programação que você decida usar.

Trata-se de, majoritariamente, uma forma de organização. É literalmente colocar as coisas em ordem, como se você estivesse organizando um arquivo ou uma biblioteca. Esse tipo de processo é fundamental e requer muita atenção.

Isso porque os diversos elementos que compõem uma programação devem estar de acordo com toda a linguagem utilizada, e uma simples falha nesse processo pode acabar sendo muito prejudicial, até mesmo terminando todo o trabalho que foi feito até este momento.

Logo, o Array acaba funcionando como um organizador destas estruturas de dados.

Para que serve o Array?

Agora que você entendeu o que é o Array, é hora de compreender sua funcionalidade. O principal papel dessa estrutura de dados é guardar informações de um modo ordenado, ou seja, separando cada informação por linhas.

Com um notebook novo nas mãos e a vontade de programar, é possível criar modelos de programação muito úteis com esse tipo de técnica.

Se você quiser compreender melhor a funcionalidade, leve em consideração uma lista de atividades que precisa fazer no seu dia a dia, por exemplo. Para registrar todas as funções, você pode criar uma linha de comando que inclua todas as atividades.

O fato de escrever cada elemento separado por uma vírgula pode não parecer uma lista para você, mas os mecanismos do computador são capazes de compreender de uma forma diferente, identificando cada uma das atividades de forma singular.

Assim, você consegue explorar todas as possibilidades dentro da própria estrutura.

Logo, quando você precisar de uma informação específica, como o quinto item que você precisa fazer em suas atividades rotineiras, basta contar na lista até o número cinco e você encontrará a atividade que estava procurando.

Uma empresa de controle de bens patrimoniais, por exemplo, tem uma série de dados que precisa ser constantemente catalogada. O Array auxilia o programador a criar uma forma de facilitar o trabalho operacional da empresa.

Logo, a premissa permanece exatamente a mesma. O computador se comporta de forma similar, explorando cada uma das informações listadas em linhas separadas e identificando quais são os elementos numerados.

Assim, se você solicitar a sexta informação presente em uma lista de Array, ele identificará e apresentará a resposta correta, conforme a programação. Diferente de uma simples lista feita em papel por você, o Array tem uma série de possibilidades.

Diferentes tipos de Array

Dependendo do cenário que você está utilizando em sua programação, existem diferentes métodos derivados do Array que podem ser utilizados, e é importante que você saiba cada um deles para compreender suas funcionalidades:

1 - Array

Este clássico modelo é uma coleção estática de um mesmo tipo. Isso significa que não é possível aumentar a quantidade de posições em um mesmo tempo de execução.

No caso de empresas de entregas, um software de controle não precisa trabalhar com dados complexos, e esse modelo de Array acaba sendo perfeito para esta produção.

Toda vez que você declara um Array, ele ocupará posições adjacentes na memória, ainda que possuam o mesmo nome e o tipo.

2 - ArrayList

Esta é uma variação que busca resolver o problema da limitação do Array. Neste caso, você consegue criar a programação para permitir que o usuário insira a quantidade que ele desejar de dados, sem que seja necessário uma preocupação no tamanho do Array.

Um ArrayList então pode aumentar ou diminuir em tempo de execução, de forma direta e dinâmica. Isso acaba facilitando o processo de inserir dados para o cliente.

Além disso, você pode inserir qualquer tipo de dado em um mesmo Arraylist, como:

  • Decimal;

  • String;

  • Inteiro;

  • Double.

Existem diversos tipos de dados que podem ser utilizados, o que acaba tornando o ArrayList muito mais versátil e fácil de utilizar, permitindo uma integração maior com esse formato de conteúdo.

3 - List(T)

Este modelo é uma espécie de amálgama das duas anteriores. Isso porque ele é dinâmico como o ArrayList, mas permite apenas um tipo de dado. Embora muitas pessoas tenham dificuldade de entender a vantagem neste caso, ela está justamente em suas capacidades.

Aqui, uma empresa que fabrica carimbo empresarial pode precisar de algo mais detalhado, e cabe ao programador definir quais métodos utilizar.

Isso porque a inserção de dados variados pode acabar fazendo o Array sofrer um problema, e toda vez que você insere um item nesta lista ele acaba sendo inserido como object automaticamente.

Entretanto, quando esse item precisa ser retirado da lista, é necessário que ele seja convertido novamente para seu tipo original, e esse tipo de conversão é automatizado e acontece internamente.

Isso faz com que a programação acabe perdendo um pouco o desempenho, e apresente eventuais falhas ou erros.

Por isso, é importante ter uma opção que não precisa passar por todo esse processo, permitindo que você utilize o Array de forma muito mais fácil e rápida.

Métodos úteis para a utilização do Array

Aqui, veremos alguns métodos e usabilidades do Array, que permitem que você consiga aplicar esta ferramenta com mais funcionalidade em sua programação.

Muitas vezes, o ideal é você ter sua equipe de TI próximo a sua sala comercial pequena para que eles possam te auxiliar em suas dúvidas.

Em alguns casos, você precisará converter os Arrays em algum outro tipo de dado, e por isso é fundamental saber as melhores formas de utilizar estas ferramentas.

Convertendo Arrays e Strings

Muitas vezes, você acabará se deparando com uma série de dados contidos em uma string. Esse tipo de linha longa pode ser um tanto confusa de compreender, e é possível separar os dados de uma forma muito mais útil e manipulável.

Uma empresa de entrega de documentos pode precisar de uma programação mais variável para realizar suas atividades.

Para conseguir fazer esse tipo de ação, você precisa utilizar o método split(), uma forma de programação que captura um parâmetro solitário. Assim, ele irá separar o item que você deseja isolar da string e irá separá-los em formato de Array.

Para conseguir fazer isso, você primeiro tem que criar uma string no seu console. Você pode criar um formato simples como:

var myData = ‘São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Fortaleza’;

Depois, você consegue dividir isso por vírgulas utilizando o código split(‘,’);

Então, basta encontrar o comprimento correto de sua nova Array para recuperar os itens nela, podendo usar o código no sentido oposto com o método join(), por exemplo.

O efeito contrário também é possível. Ao utilizar o código toString() você consegue incluir itens do Array em uma string de uma maneira mais fácil que o código join() uma vez que não é preciso especificar um parâmetro separador.

Adicionar ou remover itens

Para conseguir adicionar ou remover itens em um Array é preciso utilizar alguns códigos especiais, que permitem uma manipulação maior dos dados. Esse tipo de ferramenta é essencial para que você consiga manipular elementos importantes do console.

Primeiramente, os códigos básicos para você conseguir manipular os dados em um Array são, respectivamente, o push() e o pop(). O primeiro coloca o item escolhido em um novo comprimento da Array, enquanto o segundo remove o item do Array atual.

Essas ferramentas são muito importantes quando você está mantendo um registro de itens ativos em um aplicativo.

Se você utilizar uma cena animada, por exemplo, pode ter diversos objetos em uma Array que representem o gráfico de fundo, e pode querer limitar a quantidade de objetos que estão aparecendo.

Isso pode aumentar a performance da apresentação, o que pode ser fundamental para a utilização correta da ferramenta. Por isso, diversos novos objetos podem ser criados ou deletados da Array para que ela mantenha sempre o número desejado ativo.

Considerações finais

Não há dúvidas quanto à utilidade dos Arrays para a programação. São elementos fundamentais que, muitas vezes, estarão presentes em códigos de variadas linguagens, principalmente aquelas relacionadas a JavaScript.

Essa linguagem está intimamente associada à ferramenta uma vez que existem muitos laços entre ela e o formato de utilização dos Arrays. Embora o básico possa ser explorado de forma mais genérica em um texto, utilizar os Arrays requer muito estudo.

Elementos de programação como este podem acabar sendo utilizados em diversos recursos, até mesmo em uma loja que vende anel de diamante noivado, por exemplo.

Por isso, é essencial sempre procurar possibilidades de aprendizado para conseguir explorar melhor os espaços possíveis para a compreensão e utilização dessa ferramenta em uma estrutura de programação que você esteja criando.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.