O que são Torrents?

O que são Torrents?

Com a disseminação da internet por volta dos anos 2000, uma série de hábitos se tornou rotina na vida da maioria dos internautas. Um deles é o de fazer downloads, seja na modalidade de torrents ou nas demais maneiras.

De fato, um estudo recente revelou que o Brasil é o terceiro país do mundo que mais realiza downloads anualmente, ficando atrás apenas dos Estados Unidos da América e do Japão, que são países altamente tecnológicos.

O estudo foi realizado pela Sensor Tower, e só corrobora o fato de que somos um povo habituado a passar horas do dia na internet, tanto para o uso de redes sociais, para a realização de compras em e-commerce e para navegar em plataformas em geral.

Os grandes motores de busca também confirmam isso, pois se você pesquisa algo prático como quarto de casal planejado, logo encontra milhares de resultados, percebendo que as pessoas buscam todo tipo de solução na internet.

Um cenário que veio dar uma força ainda maior para isso foi o da pandemia iniciada em 2020, a partir da qual as pessoas começaram a passar mais tempo em casa, ou mesmo a trabalhar pelo computador, dependendo muito mais do mundo online e dos downloads.

Aí é que entram os torrents, que nada mais são que uma modalidade de download um pouco diferente do download comum (ligado a um servidor digital), ou do P2P, o famoso peer-to-peer, que também permite a troca de arquivos sem um servidor central.

Abaixo vamos falar mais sobre essas outras modalidades, como modo de compreender melhor o funcionamento do próprio torrent. O que precisa ficar claro desde já é como essa tendência toda se insere em um contexto muito maior.

Hoje, uma empresa pode usar um serviço de torrent como substituto para uma entrega de documentos físicos, após digitalizar esses mesmos documentos e disponibilizá-los para compartilhamento nessa modalidade referida.

Mas veja como isso também inclui um outro fator tecnológico: o do GED, que é o Gerenciamento Eletrônico de Dados, que permite digitalizar documentos corporativos como modo de fazer backup e se resguardar de todo tipo de incidentes.

Portanto, os torrents e as demais modalidades de download dizem respeito a um hábito arraigado no universo online, mais ou menos como a necessidade de um navegador de internet ou mesmo de um bom sinal de conexão.

Na prática, a popularização deles reflete um fator pragmático e até cultural, que pode ajudar pessoas a trocarem dados e arquivos que vão desde projetos de automação industrial até os filmes, as séries e as músicas preferidas de cada um.

Desse modo, se você quer entender melhor o que são os torrents e porque motivo eles fazem tanto sucesso atualmente, prometendo um futuro cada vez mais promissor, basta seguir adiante na leitura deste artigo.

Torrents: do que exatamente se trata?

Do que dissemos acima já ficou claro que o torrent é um sistema que permite compartilhar ou fazer download de arquivos. O grande diferencial dele é que ele lida com arquivos mais pesados em termos de tamanho, ou seja, de megabytes e gigabytes.

O seu funcionamento é o de compartilhamento de arquivos divididos em partes, segundo uma rede de computadores que se interconectam de modo a favorecer a troca, otimizando o processo e acelerando bastante a transmissão.

Por exemplo, uma gráfica que desenvolve panfleto para hamburgueria pode montar um portfólio em alta definição, cujo arquivo final pode passar facilmente de 1 giga. No compartilhamento comum isso geraria um problema, mas não aqui.

Tanto é assim que a maioria dos provedores de e-mail não conseguiria anexar um arquivo desse tamanho, e mesmo programas de troca de mensagem instantânea, que permitem envio de arquivo, também não costumam ter esse suporte.

Isso já deixa claro qual é o grande diferencial desse sistema de troca. Adiante veremos essa diferença em termos técnicos.

Download comum, BitTorrent e P2P

No fundo, todo e qualquer download nada mais é que uma transferência de arquivos entre computadores diferentes. No Brasil também utilizamos o termo “baixar”, para download, assim como usamos “subir” para upload.

No caso do upload, o que temos é a operação contrária: quando você disponibiliza algum arquivo no servidor para que ele possa ser baixado por alguém. Pois bem, na operação do download comum, o arquivo inteiro é obtido de um único servidor.

Essa é a descrição mais simples, que hoje abrange o download de todo tipo de arquivos. Um ponto interessante é notar que o download não ocorre apenas quando clicamos em um botão para iniciá-lo, pois ele é algo constante no acesso à internet.

Nosso computador “faz” downloads e uploads constantemente, mandando e recebendo dados. Por exemplo, ao entrar em uma página para consultar os horários disponíveis de uma sala de reunião pequena, por trás há uma troca de dados.

Assim, toda troca de dados ou informações implica um download. O mesmo vale para o acesso mobile, que é aquele que operamos pelo celular ou pelo tablet, sempre com a mesma lógica de um arquivo que sai de um servidor para chegar até nós.

O grande diferencial do torrent ou BitTorrent é que ele lida com uma rede maior de transmissão, que não se limita a um servidor e um computador de destino, mas vários computadores interligados, além do servidor.

Basicamente, o que temos é o seguinte jogo integrador de rede:

  • Um tracker;

  • Alguns peers;

  • Os seeds;

  • Um servidor.

Assim, o tracker é o computador central (não necessariamente um servidor). Os peers são os computadores que estão baixando e trocando aquele arquivo, e os seeds são os que já baixaram o arquivo completo.

É justamente assim que ele acelera e simplifica a transmissão de arquivos pesados, por permitir uma dinâmica tão grande em termos de trocas. Qual é a grande diferença para a modalidade P2P, que também citamos acima?

É simples: o P2P é mais frágil que os spywares. Ou seja, em termos técnicos, ele tem o mesmo funcionamento, trata-se apenas de um tipo de segurança e de abertura de portas menor, que gera menos estabilidade que o torrent.

O grande poder do sistema de trocas

Para entender ainda melhor o que são os torrents podemos falar sobre seu sistema de trocas, que funciona como algo mais ou menos capaz de retroalimentar a base da transferência e dos downloads.

Imagine algo como uma pessoa tentando carregar uma mesa grande para escritório, até que chegam outras três ou quatro pessoas e ajudam a suportar o peso. É mais ou menos assim que o sistema de troca do torrent funciona.

Todo mundo que já iniciou ou que já finalizou um download disponibiliza o arquivo, ao mesmo tempo, como upload. Então a pessoa fornece aquilo de que já usufruiu. É muito comum o pedido de que, após baixar, você deixe o arquivo lá, semeando.

Mas pouca gente sabe que isso ocorre automaticamente durante o download, sem que você precise configurar algo ou deixar deliberadamente em “semear”. É isso que diminui um pouco o peso do download para cada novo computador que vai participar dele.

O que é a largura de banda?

Outra vantagem incrível que o sistema torrent permite é uma otimização incomparável da largura de banda da internet dos seus usuários.

Também conhecida como bandwidth, o que essa largura determina é a velocidade com que os dados são transmitidos e trafegam na transmissão de dados, informações e arquivos.

Portanto, quanto maior a largura tanto mais rápida será a conexão, ou seja, maior será a velocidade tanto dos downloads quanto dos uploads.

O salto de qualidade está no fato de que o torrent, por dividir os arquivos em ficheiros e pedaços menores, consegue permitir o download através de várias fontes, e isso gera um efeito de menor consumo da largura da banda.

Dito de outro modo: como um arquivo é dividido em vários ficheiros, a mesma banda consegue comportar vários arquivos ao mesmo tempo.

Seria mais ou menos como aumentar o tamanho de uma gaveta ou gaveteiro para arquivo, o que faria com que literalmente coubessem mais coisas dentro dele, percebe?

Considerações finais

Tudo o que dissemos acima deixa claro todas as vantagens e benefícios de utilizar o sistema torrent, mas há mais algumas que merecem ser elencadas, para finalizarmos.

Um ponto importante é lembrar que o sistema realmente é indicado para arquivos pesados, porque ele pode demorar um pouco para pegar velocidade, mas depois que isso ocorre se torna muito mais rápido que qualquer outro sistema.

Além disso, quanto mais pessoas estiverem baixando um mesmo arquivo, melhor será. Outra vantagem é o fato de que qualquer arquivo pode ser compartilhado, seja um vídeo, um flyer digital ou qualquer outro, de qualquer tipo.

Por fim, há também o benefício de pausar os downloads e retomá-los a qualquer momento. Para internets instáveis isso é muito vantajoso, pois se a rede cai ou o computador desliga em um download comum, você perde tudo, mas com o torrent, não.

Com isso chegamos ao fim, deixando claro não apenas o que são os torrents, mas também quais as diferenças dessa modalidade para as demais, além de suas principais vantagens.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.