Mapa de site: Qual a sua importância em um domínio digital?

Mapa de site: Qual a sua importância em um domínio digital?

Se existe uma verdade que vem mudando o mundo dos negócios é o fato de que as marcas precisam estar presentes na internet. Contudo, isso não é tão simples, podendo envolver conceitos bem mais elaborados, como um mapa de site.

 

De fato, muita gente confunde marcar presença na esfera digital com fazer contas em redes sociais ou marketplaces, sendo que isso pode até ter a sua importância, contudo, nunca vai substituir um site próprio, com o domínio intransferível do nome da marca.

É como dizer que as plataformas existentes são um terreno alugado, ao passo que quando uma empresa de serviço de limpeza em condomínio paga por um domínio e abre seu próprio site, ela está em um terreno próprio, onde faz suas próprias regras.

Esse exemplo simples já mostra como é importante ter um website institucional. Contudo, infelizmente o Brasil não é conhecido por ser avançado em termos tecnológicos ou digitais, de modo que muitas empresas ainda não participam desse universo.

Nem se trata de uma opinião, pois várias pesquisas recentes demonstram isso, sendo uma das mais importantes a que a própria Abranet (Associação Brasileira de Internet) realizou, em parceria com a WAAS (Wordpress as a Service).

Comparado a países de primeiro mundo, o Brasil tem mais de 40% de empresas que ainda não contam com um site, ou sequer um domínio registrado em seu nome, sendo que não chega a 50% a quantidade de firmas que utilizam qualquer recurso digital.

Nesse caso, seria como uma autoescola de bairro, que emite carteira de motorista tipo B, não anunciar nem em um marketplace da região, nem nas redes sociais ou mesmo nos grandes motores de busca, que também já têm funções locais.

Certamente, quando a empresa passar a marcar presença em qualquer uma dessas frentes, as suas possibilidades comerciais vão evoluir e muito. 

Além disso, o mais bacana seria começar com um website institucional, que às vezes faz de coração das demais estratégias.

Também é aí que entra a questão do mapa do site, como um upgrade que a marca confere aos seus clientes, que passarão a ter uma experiência de navegação muito melhor, dentre outras vantagens. Como a concorrência é cada vez maior atualmente, isso é fundamental.

Por isso decidimos aprofundar este assunto aqui, explicando melhor qual a importância do mapa do site em um domínio digital, bem como os conceitos básicos desse recurso, além das vantagens que ele traz no curto, médio e longo prazo.

Aqui, é interessante considerar que essa funcionalidade já evoluiu tanto, que ela realmente pode ser implementada em websites de qualquer segmento, seja a autoescola que ajuda seus alunos a adicionar categoria D, ou uma indústria que vende produtos químicos.

Sendo assim, se o seu interesse real é de compreender a fundo como essa estratégia pode dar novos ares ao seu site, tornando a experiência do cliente mais positiva e, com isso, melhorando seus resultados gerais, basta seguir adiante na leitura.

Do que se trata esse mapa?

Alguns nomes de estratégias digitais podem não ser muito bons, mas certamente não é o caso, já que o mapa do site é muito claro no sentido de apontar do que esse recurso diz respeito.

Basta imaginar que você está fazendo uma trilha por algum lugar desconhecido, mas não tem um mapa para orientá-lo. Seria péssimo, sem dúvida, ao passo que um simples recurso que indicasse as coordenadas básicas já poderia fazer toda diferença.

O mesmo vale para um site, que pode chegar a conter dezenas ou mesmo centenas de páginas diferentes, especialmente quando se conta com um blog, que pode subir ou criar artigos e novidades diariamente.

Então, o cliente procura por algo como roda de polimento para esmeril, encontra seu site e entra na homepage dele, que é a página principal.

Porém, no momento seguinte já começa a ter dúvidas sobre qual caminho tomar para encontrar informações sobre as rodas de que precisa. Depois, quer assinar a newsletter, ou enviar um e-mail para tirar dúvidas, e daí em diante.

Enfim, se cada uma dessas funcionalidades estiverem muito claras no mapa do site, pode ter certeza de que você ganhou um cliente. Assim, as cotações vão se multiplicar e seu telefone vai tocar, pois o visitante encontrou no seu site tudo de que precisava.

As 4 estruturas básicas

Para entender melhor do que se trata e como se implementa um mapa de site, é preciso falarmos um pouco da homepage de qualquer domínio digital.

Assim que o visitante entra, ele se depara com o template, que é a disposição que os elementos assumem no espaço daquela tela.

Em tese, o site poderia ser apenas uma página de fundo branco, com letras pretas. Mas os layouts foram evoluindo e hoje apresentam essas “máscaras” que tornam a experiência de navegação bem mais eficiente e, claro, mais prazerosa.

Assim, enquanto lê sobre agasalho esportivo personalizado, uma pessoa pode ver fotos que ilustram esse produto, vídeos e várias outras multimídias.

Porém, o que realmente importa é a estruturação da página, que se dá com base em quatro pilares essenciais. Basicamente, são os seguintes:

  • O mapa do site;

  • O sitemap;

  • O menu;

  • O rodapé.

Há muita confusão entre esses quatro, por isso é preciso se deter neste ponto. Os dois primeiros pilares podem ter o mesmo nome, já que a tradução literal de sitemap é “mapa do site”, contudo, em termos de programação a diferença é grande.

Adiante vamos explicar isso melhor, mas é importante ficar claro desde já que o mapa do site é uma lista que desmembra todas as páginas que o site contém, ou seja, todos os caminhos possíveis de um visitante tomar quando cai na homepage.

Já o menu é a barra que manda o visitante para as seções por meio de links, ao passo que o rodapé é a barra final do site, que fica lá embaixo, onde é possível encontrar algumas informações básicas, como dados para contato e, claro, o próprio mapa do site.

Qual a relação com o sitemap?

Já referimos que a tradução literal de sitemap é “mapa do site”, contudo, o que mudou drasticamente essa relação foram os grandes motores de busca, especialmente o Google.

Poucos sabem, mas para você aparecer nessas plataformas, como quando o usuário pesquisa por algo como lulu da pomerania anão, o seu site precisa estar indexado na plataforma do buscador.

Fala-se muito que os bots ou algoritmos do Google vasculham a internet do mundo todo a cada período de tempo. No entanto, você pode fazer essa indexação manualmente para acelerar o processo, e é aí que entra o sitemap, que é um arquivo em formato XML.

O que ele faz é informar ao Google que naquele domínio já existe um site em funcionamento. Também é aí que está a relação com o mapa do site no sentido de estrutura desmembrada que citamos acima. 

Afinal, se você não tiver essa versão mais básica, também não terá o arquivo XML para poder indexar nos buscadores.

Portanto, outro motivo essencial para a importância do mapa do site em um domínio é que isso vai ajudar em termos de SEO (Search Engine Optimization), que é a Otimização da Página para Motores de Busca, que ajuda a ranquear seu site nas buscas.

A importância da atualização

Por fim, não podemos nos esquecer de que tudo no universo digital é muito rápido e dinâmico, por isso, os programadores ou gestores do seu site também vão precisar entrar nesse ritmo.

Isso vale para a interação com os clientes, que podem perguntar quanto custa o frete para um avental cozinha, e necessitam de respostas quase imediatas. Assim como vale para as configurações do website, que é o coração da empresa.

Em termos de sitemap, um ponto fundamental é justamente mantê-lo atualizado, no sentido de que ele pode conter várias informações que vão muito além da simples listagem estrutural das páginas contidas naquele domínio.

Por exemplo, a própria frequência de atualização, que vai ficar como registro e também terá um efeito de SEO, uma vez que os buscadores preferem páginas que estão sendo atualizadas sempre, já que elas realmente indicam que têm mais novidades.

Assim, se o cliente quer ler algo sobre jaleco feminino, com certeza encontrará mais informações em algo que foi escrito há dez dias, do que no que ficou abandonado há mais de um ano desde que o mapa do site foi indexado pela primeira vez.

Outro exemplo bem característico é o da hierarquização, já que o mapa do site também pode conter essa informação qualitativa, que faz uma comparação entre o peso de cada página, indicando quais têm mais importância do que outras.

Conclusão

Infelizmente, muitas empresas não contam nem sequer com um website próprio, mas isso precisa começar a mudar radicalmente.

Além do domínio digital, é imprescindível que a marca tenha um mapa de site, pois além de se relacionar com os buscadores, isso melhora a experiência do cliente e as vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.