Como funciona uma web radio?

Como funciona uma web radio?

A produção de conteúdo em forma de áudio encontrou um novo fôlego no cenário virtual, e a web rádio é um exemplo desta nova tendência.

 

Além dos formatos que a acompanha como podcasts, plataformas de streaming e outros produtos derivados. 

O rádio foi um dos primeiros instrumentos de comunicação eletrônica de longo alcance, acompanhado pelo telefone, e posteriormente pela TV. 

Um veículo antigamente hegemônico, foi relegado ao esquecimento com o desenvolvimento dos televisores. 

O desdobramento da produção de conteúdo na internet passou por diversas fases de favoritismo: os blogs, com seus artigos de texto e fóruns de discussão, no início do avanço doméstico da web, alcançaram o apogeu no final dos anos 90 e primeiros anos 2000. 

O nascimento das redes sociais inseriu o audiovisual no conteúdo consumido na internet como um uniforme social

As fotografias e vídeos conquistaram atenção suficiente para impulsionar a criação de plataformas exclusivas para este tipo de mídia. 

Com a vigente popularidade do smartphone e as discussões sobre a exposição excessiva às telas, o conteúdo sob a forma de áudio representa um alívio para os olhos, um método refrescante de consumir material produzido na internet. 

O áudio permite que os olhos estejam livres para contemplar a realidade física, sendo muito comum o consumo deste tipo de material durante a execução de tarefas diárias, como a arrumação da casa, contratação de tele entrega moto ou os estudos para uma prova. 

Os temas abordados são adaptáveis para cada necessidade e gostos: desde entretenimento e esportes, até notícias diárias e programas científicos. 

A web rádio se posiciona neste cenário, como a repaginação de um recurso antigo e eficiente. 

Web rádio versus Podcast

As rádios digitais são por vezes comparadas aos podcasts, programas de áudio publicados através de plataformas online. 

A semelhança entre ambas as formas de produção de conteúdo pode ser justificada pela modalidade de distribuição streaming. 

Os serviços de streaming são caracterizados pela exibição de conteúdo audiovisual sem a necessidade de executar downloads na máquina do consumidor. 

A manipulação do material, incluindo pausas e listas de reprodução, é feita totalmente online. 

Tais serviços são possíveis por meio da tecnologia em nuvem, uma espécie de aluguel de armazenamento interno que permite a coleta de todas as informações de uso, como um guincho 24hr, sem a necessidade de instalar algo em sua máquina. 

Os serviços de streaming mais comuns oferecem filmes, séries e podcasts, de modo gratuito, semi-gratuito ou pago por meio de assinatura. 

O funcionamento da web rádio é possível pela mesma tecnologia de streaming, mas com algumas diferenças: 

Podcasts: maior especificidade

Os podcasts são programas de áudio gravados por um produtor de conteúdo, sob a forma de um canal. 

Tais canais possuem perfis e permitem acesso irrestrito nas diversas plataformas de streaming, locadas ou pertencentes a marca. 

Os podcasts apresentam maior especificidade quando comparados às web rádios. Cada canal possui um tema e tom exclusivo, que será seguido em todos os episódios. Os exemplos de maior sucesso deste tipo de conteúdo são os canais de entrevistas. 

Outro fator muito visível nos podcasts é uma maior conexão entre público e apresentador. 

Os anfitriões são sempre os mesmos, em todos os programas, configurando-se como uma parte do atrativo, um item indispensável para a identidade do podcast. 

Uma empresa de engenharia legal que lança um podcast de entrevistas como estratégia de marketing, por exemplo, está restrita a um modelo fixo de produção de conteúdo, sem o qual o propósito do programa se perde, afastando a audiência. 

Os podcasts são também marcados pelo aspecto gravado de sua programação, onde cada episódio possui um horário definido de exibição e dura em torno de uma ou duas horas. 

Alguns destes programas, inclusive, só se apresentam em determinados dias da semana. 

Web rádio: diversidade e continuidade

Apesar de compartilhar a mesma tecnologia empregada nos podcasts, a web rádio mantém suas raízes do rádio antigo, ela é contínua, com múltiplas programações em um único episódio, diária e sem horário definido. 

Nas antigas experiências de rádio, bastava ligar o aparelho de som a qualquer momento do dia, sintonizar no canal desejado e o ouvinte poderia desfrutar de seu conteúdo. 

As rádios digitais mantêm a mesma experiência, modificando apenas a forma de transmissão. 

A continuidade das rádios digitais pode ser explicada por sua estrutura de múltiplos programas, distinta dos podcasts, com episódios mais limitados em termos de duração e formato. Uma web rádio pode também reunir diversos temas. 

Tal diversidade de conteúdo viabiliza a diversidade de anúncios, transformando a rádio digital em um catálogo versátil que exibe desde aparelhos eletrônicos, até papel de parede para quarto de casal 3D

Alguns canais de rádio digital podem apresentar, como proposta principal, a emissão de notícias, sem com isso limitar toda a sua grade a este tipo de conteúdo. 

As opções disponíveis no mercado unificam:

  • Esportes;

  • Música;

  • Personalidades;

  • Notícias. 

Diversificar formatos de programa e rotacionar apresentadores é mais seguro neste modelo, onde o ouvinte manifesta padrões distintos de consumo. 

O podcast é mais pontual, como alguém que assiste um filme, na web rádio, o consumo é mais casual. 

Instalando uma rádio digital

A web rádio é uma opção mais simples em termos operacionais e de burocracia, pois além de dispensar o uso de antenas para transmissão de sinal, por meio da digitalização de seus processos, a abertura de um canal deste tipo não necessita de autorização legal. 

Para criar uma web rádio, o produtor de conteúdo precisa construir uma estrutura que envolve:

  • Computadores;

  • Microfones para captação de áudio;

  • Conexão à internet;

  • Um software especializado na transmissão ao vivo. 

É possível, inclusive, integrar a rádio digital com plataformas de vídeo gratuitas e até mesmo redes sociais. 

Este é o segredo para o sucesso dos principais expoentes desta modalidade de conteúdo. 

O projeto inicial pode ser de baixo custo, contemplando a possibilidade de melhorias futuras, a partir da formação de parcerias publicitárias com empresas de sistema de monitoramento residencial, por meio da exibição de anúncios na programação. 

Além do arranjo de equipamentos necessários, outros pontos a serem observados na produção de uma rádio digital, são: 

  • Formação de uma grade de conteúdo semanal; 

  • Alinhamento de ideias com sócios (caso existam); 

  • Definição de público-alvo; 

  • Designação de uma equipe para monitoramento da audiência; 

  • Criação de uma estratégia de marketing digital. 

É recomendado que cada um destes aspectos sejam definidos, em detalhes, com antecedência, de modo a estipular o orçamento necessário e reduzir riscos de surpresas indesejáveis durante a implementação do projeto. 

Benefícios de uma rádio digital

Uma rádio digital é um espaço livre para o teste empírico de recepção do público. 

Por ser um modelo de produção mais maleável, é possível experimentar múltiplos programas, formatos e abordagens, em busca do que for melhor. Outros benefícios são: 

Maior alcance de público

Muitas rádios digitais surgiram como braços de outros canais de produção de conteúdo, como rádios tradicionais e jornais. 

A inserção no mercado virtual permite o crescimento do público atingido pelo conteúdo. 

Consumir a rádio digital é mais confortável que seu modelo analógico. Um dos principais problemas solucionados pela mudança era a irregularidade de sinal, provocando problemas graves de ruído na transmissão dos programas. 

A web radio é de extrema qualidade, com áudio limpo e ininterrupto, exigindo apenas a conexão à internet. 

A exibição de anúncios também melhora, uma vez que sua mobilidade permite o encaixe de papel de parede autocolante no intervalo entre programas. 

Eficiência na atração de parcerias

A web rádio é um modelo de criação de conteúdo feito sob medida para a publicidade. 

Além dos anúncios em intervalos de programações, outro atrativo para as parcerias é o convite de influenciadores digitais e outras figuras para entrevistas e participações. 

Grande parte do retorno financeiro das rádios digitais é derivado disso. A variedade de temas abordados funciona como uma etiqueta personalizada para imprimir, permitindo a realização de acordos com múltiplas fontes publicitárias. 

Interação eficiente, em tempo real

As rádios tradicionais foram um dos primeiros veículos de comunicação em massa que trabalharam com a interação direta com o público, ao vivo. 

Se o canal anteriormente empregado era o telefone, o atual canal é ainda mais efetivo: a internet. 

As rádios digitais contam com a possibilidade de resgatar esse contato íntimo com o ouvinte, sob a forma de envio de mensagens nas redes sociais da rádio durante a transmissão, permitindo a leitura e resposta instantânea.

Conclusão

Portanto, uma web rádio é um exemplo de antigos modelos de comunicação reformados para as condições e tecnologias contemporâneas. 

Investir em uma rádio digital é um modo versátil e criativo de gerar conteúdo para a internet. 

Em um cenário saturado por um alto número de publicações por minuto, as rádios digitais são um sopro de novidade para o usuário, um veículo de comunicação que une o compartilhamento de dados em tempo real com entretenimento de qualidade. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.