7 dicas para você criar uma Landing Page

7 dicas para você criar uma Landing Page

Que o marketing digital se tornou uma das estratégias mais importantes que as empresas podem aderir hoje em dia já não é novidade. A questão é saber como tirar o melhor dele com boas estratégias, como é o caso da Landing Page.

Também conhecida como “Página de Aterrissagem”, ou “Página de Conversão”, esse termo já diz muito sobre a funcionalidade dessa estratégia comercial. O que ela busca, realmente, é “converter”, ou seja, fazer o visitante avançar um estágio.

Imagine se você pudesse fazer um site no qual o cliente em potencial não tivesse nenhuma distração em relação à ação que você espera. Nada de menus, de imagens que não têm a ver com o produto, de promoções e pop-ups subindo e descendo o tempo todo.

Provavelmente suas taxas de conversão iriam aumentar bastante, fosse para dispor do download de um e-book ou mesmo para vender, você concorda? Enfim, para qualquer CTA (Chamado para Ação) que você fizesse.

É exatamente disso que se trata a estratégia digital da Landing Page: aumentar a assertividade de uma página ou CTA de maneira exponencial. Com isso, você aumenta seus leads, oportunidades, vendas, clientes e resultados como um todo.

Mas para conseguir fazer uma estratégia tão agressiva funcionar de maneira eficiente, é preciso levar uma série de fatores em conta, desde questões de layout e psicologia das cores, até conteúdo e gatilhos mentais.

Então, se você quer compreender melhor como as Landing Pages podem mudar seu negócio digital de patamar, com dicas práticas sobre como fazer páginas de conversão arrasadoras, é só seguir adiante na leitura.

1. Aterrissagem vs. Conversão: há diferenças?

Aí é que está o desafio. Até hoje muita gente confunde, por exemplo, o papel da “página de aterrissagem” com o da “página de conversão”. Realmente, se você utilizar algumas plataformas de tipo Analytics, a confusão só tende a crescer.

Dependendo do ponto de vista, a Landing Page (LP) ou “página de aterrissagem” é aquela pela qual um visitante entra em seu site, seja a home (se ele acessar pela barra de endereços, por exemplo) ou qualquer página que ele encontre por algum motor de busca.

Contudo, é preciso compreender que, com o passar dos anos, o sentido de Landing Page foi se alterando, especialmente em função da estratégia de conversão que citamos acima.

Daí que muitas empresas pensem que já fazem essa estratégia, sem entenderem realmente do que se trata.

2. Não se esquecer do Funil de Vendas

Não é possível falar em Landing Pages sem falar em Funil de Vendas. 

Afinal, toda a estratégia está concentrada em fazer os visitantes avançarem na jornada de compra, seja de leitor para lead, seja de lead para comprador propriamente dito.

Se você tem um blog de aula de direção para iniciantes, o principal ponto da sua estratégia é atrair as pessoas certas na hora certa, não é mesmo? Para isso, e antes de sair fazendo LPs, leve em conta os estágios clássicos do funil:

  1. Atração: tráfego de leitores;

  2. 1ª Conversão: geração de leads;

  3. Relação: prospects e oportunidades;

  4. 2ª Conversão: as vendas/negociações;

  5. Fidelização: pós-vendas e afins.

Na prática, existe o topo, o meio e o fundo do funil, respectivamente. 

Se a pessoa já leu todo seu material sobre carteira motorista categoria b, interagiu por e-mails ou telefone, e decidiu ir até sua escola, ela está no fundo do funil, no fim do processo.

Isso já deixa claro que você nunca deve fazer uma LP sem considerar para que estágio do funil ela se dedica. Falar com um leitor ou um lead sem levar isso em conta é um ótimo modo de perder a oportunidade.

3. Conteúdo e a importância do título

Como vimos acima, a Landing Page é formada por duas colunas básicas: o conteúdo e o layout. Ou seja, as informações que você pretende passar, bem como o design de que você vai lançar mão para fazer isso de modo assertivo.

Sobre a primeira coluna, você deve saber, até por experiência própria, que a maioria das pessoas só lê o título/subtítulo de um conteúdo, não é mesmo? Então, se você quer falar de banner impressão, já precisa atrair a atenção das pessoas logo nessa etapa.

O meio termo é não exagerar na promessa, pois se a pessoa decidir ler e notar que a página não entrega o que prometeu, será negativo. Como será ruim ela não se sentir atraída, e nem sequer começar a leitura.

Além da clareza de objetivo, se você vai falar sobre banner horizontal, uma dica de ouro é criar título em formato de solução, tal como fizemos neste nosso artigo. No seu caso, ficaria assim: “X dicas de como criar um banner horizontal incrível”.

O gatilho mental aqui é o da solução prática, afinal, a pessoa não vai ficar apenas na teoria, mas após a leitura, poderá resolver uma dor. O mesmo vale, é claro, para todo o texto, que deve ser igualmente claro e bem feito.

Para isso, lance mão de subtítulos, listas com bullet points enumerados, e tudo o mais que possa tornar o conteúdo fácil de compreender e agradável de ler.

4. Sobre e-books e ofertas irresistíveis

O principal uso que se faz de Landing Pages hoje é o de captação de leads ou conversão de vendas, geralmente por meio do preenchimento de formulários ou do cartão de crédito.

Isso já serve para nos perguntarmos: o que é uma oferta arrasadora?

Como vimos acima, tudo começa pelo título. Contudo, você precisa entender que não faz sentido criar um LP de algo que poderia estar, por exemplo, em uma página de blog. Portanto, a oferta está em trazer algo diferenciado.

Assim, uma escola de aula de ballet iniciante não pode fazer, em sua LP, algo melhor do que a concorrência apenas. Precisa ser algo melhor do que o que ela mesma já ofereceu no blog e nas redes sociais.

Uma dica de ouro para captação de leads é oferecer um e-book. Na verdade, eles também podem servir para fazer o lead avançar no funil e comprar seu produto.

Afinal, um livro eletrônico comprova sua autoridade no mercado como poucas estratégias poderiam fazer.

5. Como caprichar em CTAs eficientes?

Acima falamos sobre CTAs, mas é preciso detalhar essa estratégia, pois recentemente tem surgido muita dúvida em relação a ela.

A sigla remete a “Call to Action”, que traduzido significa Chamada para Ação. Ao contrário do que alguns pensam, ele não se trata de “mandar as pessoas fazerem algo”.

Se você tem uma LP sobre auto escola com carros adaptados, não faz muito sentido exagerar no uso do imperativo categórico, concorda?

Algo como um botão escrito “Receber material”, ou “Obter meu e-book” também cumprem o papel de um CTA, e podem fazer a pessoa se sentir mais à vontade.

Lembre-se, fazer alguém realizar o que você quer, com a pessoa achando que ela é que queria, também é um gatilho mental. Então, considere ponderar no imperativo.

6. A apresentação visual da página

Quem nunca ouviu dizer que uma imagem diz mais que mil palavras? 

Pois é, o marketing digital e as Landing Pages vieram para provar que não são só as imagens, o mesmo vale para as cores e os conteúdos visuais como um todo.

Imagine a diferença entre uma gráfica que anuncia seu portfólio de panfleto pizzaria com várias fotos em alta qualidade, e outra que apenas descreve sua solução, falando em preços, prazos, mas nada da ilustração do seu trabalho.

Uma dica de ouro é contar com vídeos. Muitos têm focado os esforços de LP apenas no conteúdo e no visual, esquecendo-se disso. Se uma foto pode ajudar, imagine um vídeo sobre um curso de musicalização infantil.

Além de imagens e vídeos, as cores também dizem muito. Se você reparar, um escritório de advocacia (que precisa passar seriedade), lida com cores escuras e frias, como preto e azul marinho.

Já um fast food que quer despertar fome e irreverência, lida com cores quentes, como amarelo e vermelho. Não é à toa, concorda?

7. O segredo de um formulário que converte

Podemos dizer que, em termos de Landing Page, o formulário é a alma do negócio.

Muitas empresas trocam os pés pelas mãos na hora de pedir as informações, por achar que basta ser “claro e objetivo”. Mas é preciso levar em conta, novamente, as etapas do Funil de Vendas, conforme nossa primeira dica.

Se o leitor vai ser convertido em lead, considere ficar apenas no básico, pedindo:

  • Nome completo;

  • E-mail pessoal/profissional;

  • Telefone e profissão;

  • Assuntos de seu interesse.

Ainda assim, considere a possibilidade de pedir um e-mail ou outro, e deixar opcional algo como o telefone. Nada de travar a caixinha e selecionar tudo com um asterisco (*) como indicação de que é obrigatório.

O risco de exagerar no formulário é perder todo o trabalho feito até aqui. Quando o lead estiver mais familiarizado, aí sim faça perguntas-chave, que ajudem na hora do seu comercial fazer contato para convertê-lo em cliente efetivo.

Com isso vemos como as Landing Pages se tornaram um universo de possibilidades para o marketing digital, bem como as dicas mais infalíveis para obter os melhores resultados.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.