6 dicas para você vender pelas redes sociais

6 dicas para você vender pelas redes sociais

Se tem algo que ninguém pode questionar atualmente é a importância da internet no crescimento de uma empresa. Dentro desse universo, uma estratégia que tem se mostrado indispensável é a de vender pelas redes sociais.

É muito comum ouvir falar sobre esse assunto, mas não é todo mundo que sabe como exatamente iniciar boas campanhas, como dar os primeiros passos e, sobretudo, como empreender ações realmente assertivas, eficientes e sustentáveis.

Afinal, uma coisa é vender um ou outro produto, outra bem diferente é conseguir estabelecer-se nas redes, de maneira sustentável. O que significa dizer: de um modo contínuo, seguro e que possa se tornar uma fonte de rentabilidade.

Aliás, hoje há vários negócios que veem na internet não apenas outra fonte de vendas e de lucro, mas a principal ou exclusiva fonte de renda da empresa. Deste modo, foi-se o tempo em que bastava ter um site no ar, ou apenas uma loja virtual.

O site institucional continua sendo importante, assim como uma loja virtual ou mesmo um marketplace. Mas é preciso entender que o e-commerce vai muito além dessas modalidades tradicionais, como no fato de incluir as mídias sociais.

Segundo dados do próprio IBGE, com a disseminação dos smartphones, que dispensam um computador para acesso à internet, o número de internautas no Brasil tem crescido significativamente.

Atualmente, a classe E e a população rural já têm acesso à esfera digital, compondo mais de 150 milhões de brasileiros que se conectam diariamente. Sobre as redes sociais, são conhecidos os dados de que estamos entre os países que mais as utilizam.

Um dos levantamentos mais recentes foi feito pela GlobalWebIndex, empresa de pesquisas com sede em Londres, que verificou que as Filipinas é o país onde mais se passa tempo nas mídias sociais, e o Brasil é o segundo.

Na média, passamos mais de 220 minutos conectados todos os dias. Ou seja, quase quatro horas diárias. Então, se você quer compreender como uma marca pode tirar proveito desse novo mercado, basta seguir adiante na leitura.

1. O que é marketing de conteúdo?

Hoje o assunto das vendas nas redes sociais oscila entre extremos. Alguns pensam que isso é sazonal, que as vendas podem cair com o tempo; outros, costumam achar que as vendas já saturaram, pois a concorrência é muito grande.

Entre esses dois extremos, a verdade é que um passo fundamental é pensar no conteúdo. Imagine uma adega que vende vinhos secos, certamente ela não está sozinha no mercado digital, como não está em termos de loja física. Então, como diferenciar-se?

Aí é que entra o que muitas marcas não sabem ou não conseguem fazer: criar conteúdos realmente relevantes, que engajem o público e mantenham sua constância. Aliás, a “constância” é tão importante quanto o conteúdo.

Se você marcar presença de modo eficiente por alguns poucos dias, e depois perder o ritmo, é bem provável que acabe ficando para trás. Então uma dica de ouro é criar um calendário editorial, sempre com um ou dois meses à frente.

Unindo essa estratégia prática ao marketing de conteúdo, que é a modalidade que ajuda uma empresa a gerar conteúdos originais e que agreguem algo ao público, certamente a marca vai conseguir se destacar no meio da concorrência.

O interessante é que a internet é apenas um meio, um veículo de mediação. 

Portanto, a mesma dica que vale para um negócio que vende doces para festa de aniversário infantil, é válida igualmente para uma indústria química com unidades em vários estados do país.

Essa dica é fundamental, pois alguns confundem as redes sociais com um simples e-commerce, como se fosse apenas o caso de “fazer um anúncio” e esperar as vendas entrarem, mas elas vão além disso.

2. As identidades visual e verbal

Como vimos, é um erro tratar as redes como se fossem um mero “portfólio online”, no qual você posta fotos e legendas dos produtos que vende. Na prática, é preciso ter uma visão mais abrangente, de identidade visual e verbal.

A identidade verbal diz respeito aos valores da marca, que são os tradicionais “Missão, Visão e Valores”. Acredite, um negócio que venda dieta simples para emagrecer com uma filosofia de trabalho vai atrair muito mais do que um simples vendedor comum.

Portanto, tenha uma filosofia ou cultura organizacional bem definida, com valores claros, mesmo que seu negócio ainda seja pequeno. 

Sobre a identidade visual, basta você navegar nos maiores e-commerces do país para ter bons exemplos.

Sabe aquela marca que só de ver uma cor ou a tipografia você já sabe de quem se trata? Pois é, se as suas páginas nas redes sociais seguirem a mesma dinâmica, tenha certeza que seu negócio vai ser muito mais marcante e próspero.

Também não pense que isso é importante apenas para quem trabalha com design ou áreas mais visuais. Imagine uma empresa de som e iluminação para festas, você não acha que se tiver uma apresentação visual profissional, ela vai atrair mais gente?

No fundo, não adianta ter os melhores conteúdos da web, se ninguém estiver olhando para você. Então lance mão deste que é um dos melhores modos de atrair a atenção das pessoas.

3. Quais tipos de redes sociais existem?

Se confundir as redes com um “portfólio online” é um problema, tem outro do mesmo gênero igualmente grave: achar que toda rede social é igual, já que todas teriam “a mesma proposta”.

Na verdade, cada mídia social tem suas regras próprias, de modo que simplesmente copiar e colar o conteúdo de uma para outra é um dos piores erros que há.

O incrível é que uma empresa com uma solução nichada como venda de empilhadeira elétrica, que é um setor mais técnico, também pode se beneficiar das redes, desde que saiba levar em conta esta dica.

Atualmente existem plataformas que focam em mensagens instantâneas, outras em textos longos ou pequenos, outras em fotos e imagens, outras ainda em vídeos. Assim, as mais comuns são, respectivamente:

  • WhatsApp e Telegram;

  • Facebook e Twitter;

  • Instagram e Pinterest;

  • YouTube e TikTok.

Adiante veremos como é necessário saber trabalhar ou retrabalhar seu conteúdo, e o modo de fazer com que isso não se torne uma simples dispersão.

4. Usando as mensagens instantâneas

Pouca gente sabe, mas o WhatsApp não apenas é uma rede social, como pode ser excelente para nutrir leads e fazê-los avançar pelo funil de vendas.

Imagine que você acabou de receber um lote novo de tornozeleira feminina ouro, e quer fazer uma promoção relâmpago para vender tudo. 

Ao anunciar em uma mídia social tão dinâmica, no mesmo momento você já pode começar a ter o retorno de pessoas interessadas. Como essa plataforma está intimamente ligada ao celular, é mais fácil impactar as pessoas.

Uma dica é não se limitar ao WhatsApp, mas já investir também no seu concorrente, o Telegram, que vem trazendo cada vez mais usuários e novas oportunidades.

5. Como lidar com textos nas redes

Se o seu foco ainda está em captar leads, você pode aplicar o marketing de conteúdo (explicado acima) da seguinte maneira: faça posts em formato de textos mais explicativos, e publique eles no Facebook.

Essa rede social também aceita fotos e vídeos, mas o usuário está mais acostumado a ler conteúdos nela, então capriche na comunicação escrita.

Uma dica valiosa é não deixar de usar Call to Action (CTA), que são as famosas “Chamadas para Ação”. Assim, ao final de um post sobre anel de noivado ouro branco com diamante, coloque algo como “Diz pra gente, como está indo o noivado?”.

Ou ainda “E aí, qual é a data do seu casamento? Permita-nos te ajudar!”. Isso é bem diferente de simplesmente anunciar um produto, e já abre portas para o seu comercial trabalhar. 

O mesmo vale para o Twitter e qualquer rede que foque em textos, lembrando que nessas mais dinâmicas você pode fazer links para conteúdos maiores.

6. As multimídias e os anúncios

As redes sociais voltadas para multimídias são indispensáveis. Como se diz, uma imagem vale mais que mil palavras, por isso, foque nelas quando já tiver condições de investir em imagens, fotos e vídeos de qualidade.

Ao contrário do que muita gente pensa, o Instagram e o Pinterest não são apenas páginas onde amigos trocam fotos de passeios. São máquinas de venda, assim como o YouTube não se limita a canais de gamers ou opinadores políticos.

O TikTok, por exemplo, é uma febre do momento. Ele lida com vídeos curtos, geralmente engraçados, mostrando como é preciso não ter medo de inovar.

De fato, se você trabalha com gravação áudio, algumas montagens postadas ali podem simplesmente fazer seu negócio “viralizar” em questão de poucos dias ou horas.

Também assim, após sentir-se preparado para gerar multimídia, considere trabalhar com o Ads (Advertising) das mídias sociais, que são os anúncios pagos, pois eles podem ajudar e muito a promover um negócio digital.

Com isso, vimos seis dicas fundamentais sobre como trabalhar as redes, indo desde questões conceituais até dicas práticas que podem trazer grandes benefícios em vendas e mudar a sua marca de patamar.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.